Epifania

Estava eu no carro, debaixo do sol, durante uma hora naquela manhã quente de terça-feira esperando que o meu examinador me levasse para fazer a baliza. Era o meu segundo teste. No primeiro, fui muito bem na baliza. Pode parecer incrível, mas eu gosto de fazer baliza. Durante as aulas práticas, tinha vontade de ficar fazendo baliza durante uma hora. Parece um joguinho. Chato mesmo era o resto, quando eu tirava o carro da garagem e tinha que enfrentar o trânsito. Não gosto de dirigir e isso não deve ter ajudado em nada no processo. Voltando: estava lá observando as pessoas fazerem baliza, eu e as outras duas pessoas que também estavam tostando entediadas dentro dos carros. Numa média, oito em cada dez candidatos não passam na baliza. A gente vai assistindo e se angustia. Teve uma deixou pouco espaço e errou na saída. Teve outra que fez tudo direitinho e quando deu ré pra voltar pra linha vermelha, ou seja, nos finalmentes, deu uma ré tão torta que ela quase estacionou o carro de novo. Muita gente ficou indo e voltando em busca da posição perfeita e o tempo estourou.

 

Tentei não me deixar abalar, mas aquilo me afetou. Na minha curta experiência, já vi que dá pra ver se a pessoa vai passar no teste só dela se aproximar do carro, já na partida. Gente que chega com a intimidade de quem já dirige há anos sem carteira e só foi lá oficializar. Digo mais: homens. Eles chegam chegando. Um deles chegou tão seguro e estacionou com uma facilidade que o examinador disse (juro por deus!):

– O pneu de trás não ficou muito bem alinhado com o da frente, tire da vaga e faça de novo.

Tudo sem dar mais tempo pro rapaz, claro. Pense, amiga leitora, se isso acontece com você. Aquilo me abalaria na hora, eu não ia conseguir mais. O rapaz tirou o carro, colocou, tirou de novo e passou no teste. Ele não se deixou levar. Lembrei do meu primeiro teste, onde arrasei na baliza. Na saída do DETRAN não quis colocar o carro muito no meio da rua e saí com pouca visibilidade. O meu examinador, um cara grandão com cara de mau, me passou o maior pito, com direito a “como é que você me explica você ter feito uma coisa dessas” e tudo. Eu já estava nervosa e aquilo acabou comigo, meu teste acabou ali, depois só fiz besteira. Todo mundo me dizendo que é máfia, que o interesse deles é reprovar o máximo possível e eu não acreditava. Vou falar: interesse em deixar a gente à vontade eles não têm não. No segundo teste, depois de uma hora no sol, vendo todos aqueles absurdos, saí com o carro e mesmo longe demais do protótipo eu manobrei, porque tive medo de ajeitar e estourar o tempo. Vai que eu teria que tirar e colocar de novo, por “rodas desalinhadas”. Resultado: cuidei tanto das rodas alinhadas que bati atrás, um erro totalmente estúpido. E dale mais duzentos e cinquenta contos.

 

Foi aí que eu tive minha epifania: Freud é quem tem razão. Homem é outra coisa, homem é outra história. Homem não se abala igual a gente. Pode deixar uma hora no sol, dar pito, mandar repetir baliza, não importa. Eles decidem ignorar e ignoram, simples assim. A opinião de mundo e os testes dos outros não importam, porque eles são mais eles. Tudo o que eles precisam, o que realmente importa, já está grudado no meio das pernas deles.

Que ódio.

Anúncios

As questões divertidas dos simulados do DETRAN

Eu digo que o cara que formula essas questões se diverte e as pessoas não me levam à sério. Todo simulado tem questões que me fazem rir. Olha só:

O que caracteriza uma pessoa equilibrada emocionalmente?
a) Ter respostas emocionais adequadas a cada situação.
b) Não chorar nunca.
c) Ter mais de 40 anos e experiência de vida.
d) Ser simpático e nunca dizer não às pessoas.
e) Todas as alternativas estão corretas.

Um pedestre que atravessar uma rodovia e existe uma passarela nas proximidades. O correto é:

a) Juntar um grupo de pessoas e atravessar em nível.
b) Caminhar até a passarela e efetuar a travessia com segurança.
c) Atravessar a via correndo, em nível.
d) Atravessar a via em nível, mas com todo cuidado.
e) Atravessar em nível, agitando um pano.

À noite, um veículo vem em sentido contrário com os faróis altos, provocando ofuscamento. Você:

a) Desvia o olhar para a direita e se orienta pelas faixas do solo.
b) Fecha os olhos.
c) Para no acostamento até o outro veículo passar.
d) Desvia para a esquerda e se orienta pelas faixas do solo.
e) Olha para o outro veículo e também liga o farol alto.

Ao encontrar pedestres caminhando por uma via que não tem calçada nem acostamento, você:

a) Buzina para o pedestres saírem da via.
b) Chama o guarda, pois eles não podem caminhar pela pista.
c) Oferece carona aos pedestres para tirá-los do perigo.
d) Diminui a velocidade e tenta passar afastado dos pedestres.
e) Continua normalmente, pois os pedestres estão errados.

Ao tomar um medicamento que produz um efeito de sonolência, você deve:
a) Tomar outro medicamento que seja estimulante.
b) Deixar de dirigir nessa condição.
c) Compensar o efeito, tomando chá ou café.
d) Transitar por vias de menor movimento.
e) Parar a cada dez minutos para descansar.

Ao transportar uma vítima com fraturas expostas, deve-se, em primeiro lugar:

a) Prevenir a vítima de que ela sentirá dor e em seguida puxar o membro machucado, colocando-o no lugar.

b) Enfaixar toda a região machucada para evitar contaminação.

c) Procurar algo rígido, enfaixando-o junto com o membro machucado, para imobilizá-lo.

d) Segurar o membro quebrado enquanto os outros levantam a vítima.
e) Não mexer na fratura.

Em primeiro lugar, deve-se verificar na vítima:
a) Se há muito sangramento.
b) Se há muitas fraturas.
c) Se a dor é muito forte.
d) Se há obstrução nas vias aéreas.
e) Se ela consegue ficar de pé e andar sozinha.

Quando o trânsito está congestionado, devemos:
a) Mudar de faixa de rolamento.
b) Manter a calma.
c) Desligar o veículo.
d) Buzinar sem parar.
e) Ler um livro ou um jornal para distrair.

Ao ouvir no rádio que o trajeto rumo ao seu serviço está totalmente congestionado, você:

a) Faz outro trajeto para evitar o congestionamento e tentar chegar no horário.
b) Segue em frente, pois já está acostumado com esse percurso.
c) Fica tranquilo, pois já avisou o chefe que chegará mais tarde.
d) Faz o trajeto habitual desconsiderando as informações.
e) Avisa o chefe que irá faltar.

Ao receber um insulto no trânsito, o condutor deve:
a) Chamar o agente de trânsito, solicitando que multe o agressor.
b) Ligar o rádio bem alto para mostrar que não se importou.
c) Fingir que não ouviu e seguir a viagem tranquilamente.
d) Anotar a placa do veículo para reclamações posteriores.
e) Revidar mostrando sua irritação.

Ao estacionar em local proibido, um agente de trânsito lhe aplica uma multa. Você deve:

a) Retirar seu veículo daquele local, dizendo ao agente que não havia percebido a sua presença.

b) Dizer ao agente que não sabia que era proibido estacionar.
c) Conversar com o agente, tentando livrar-se da multa.
d) Desculpar-se da ação indevida, guardar o recibo da multa e retirar o veículo do local.
e) Perguntar ao agente se ele sabe com quem está falando.

A minha preferida:

Para assumir um comportamento seguro, o condutor deve possuir as seguintes características:
a) Beleza e inteligência.
b) Prudência e habilidade.
c) Alegria e jovialidade.
d) Saúde e beleza.
e) Bom humor e saúde.