Santa desculpa, Batman!

criminalidade

O Batman tem aquela paixão pela moça, se não me engano ela é filha do comissário Gordon. Na verdade, não o Batman e sim o milionário. Todo filme de Batman que se preze tem que mostrar isso, e fica aquela complicação porque ninguém pode saber que o Batman é o Batman, e qualquer um que pensasse um pouco ia concluir que ser Batman é caro, então o sujeito é milionário, jovem… No primeiro filme da franquia Batman, tenho quase certeza – já perdi as contas de quantos foram – ela sabe que o Batman é Batman, quase morre, ele quase é descoberto, então ele termina tudo, apesar de querer muito, para a própria segurança dela.

– Mas, Bátima, quando poderemos ficar juntos de novo?

– Enquanto houver criminalidade em Gothan…

OU SEJA.

Sofrer por amor é uma merda, e quando a gente está envolvida na história, tudo parece inédito e misterioso. Como o cara que usa desculpa Batman pra terminar. Aí a moça fica louca para saber a verdade, o que está acontecendo, qual a história secreta por detrás. Para quem está de fora, é claríssimo: pouco importa se ele é o Batman ou se caiu do berço quando era criança e bateu a cabeça no chão. Se ele não está disponível, o melhor é partir para outra.

Anúncios

Curtas de queixas vintage

Essas promoções de hoje em dia, que a gente tem que cadastrar código de barra e guardar a embalagem. Não gosto, preferia mandar as ditas pelo correio. Devia ser um problema se livrar de tudo depois que a promoção acabava, mas aí o problema era deles. O meu problema é que eu cadastro as embalagens e elas ficam por aí, estorvando. Quando vejo, joguei fora. Aí fico com medo de ser sorteada.

 

.oOo.

 

Uma coisa que deixou de existir e ainda bem: fã que para demonstrar seu amor escreve carta pro ídolo com 10 metros de papel com a frase “eu te amo”. Aí mostrava a quantidade de caneta que a infeliz usou, etc.

 

.oOo.

 

Já fui fã dos grandes gestos de desculpas, não sou mais. Sabe igual a cena do Richard Gere pedindo desculpas para a Julia Roberts na escada, em Uma linda mulher? Não me convence mais. Não porque a pessoa já conta com isso, em fazer uma merda muito grande e depois basta um gesto grandiloquente, uma cena pública. Sou mais ter pensado antes e evitado de me magoar.

 

.oOo.

 

Fico doida com esses posts que usam nostalgia dos anos 80 como motivos para alfinetar as gerações mais novas. Naquele tempo andávamos na parte detrás do carro, o mertiolate ardia, a TV não tinha controle remoto e nem por isso morremos, etc. Mas se essa geração que está aí é mole, mimada e não tem a nossa firmeza de caráter, a culpa é de quem? Dos seus pais anos 80. Se achavam que os valores da nossa época eram tão bons assim, não deveriam ter criado os filhos dando tudo, levando de carro pra cima e pra baixo e superprotegendo.

Dava

Antes de ficar solitária, deprimida e pobre, dava pra ter evitado. Dava pra não ter passado no banco. Dava pra chegar em casa e, pensando bem, não parece mais um negócio tão confiável. Dava pra ter dito que não, que não disporia das parcas economias pra entrar no negócio dos outros. Dava pra não ter entrado no carro, dava pra não ter dito que tinha outro compromisso e tinha a agenda cheia até 2030. Dava pra ter excluído do Facebook, apagado o telefone, excluído de tudo. Dava pra ter achado o fim do mundo quando ele procurou de novo, e disse as mesmas loucuras de novo. Dava pra ter considerado que se ele trai a namorada com você, se você fosse a namorada também arranjaria outra. Dava pra ter excluído da vida, do Facebook e do telefone na primeira incoerência. Dava pra não ter achado nada demais aquele dia que ele foi gentil. Dava pra não ter dormido com ele. Dava pra encarar apenas como sexo. Dava pra ter recusado o encontro. Dava pra ter achado a foto e o perfil ridículos no Tinder. Dava pra não ter entrado no Tinder. Dava.

Desculpa

A melhor maneira de mostrar arrependimento e pedir desculpas é dizer: desculpa. Quando minha mãe exagerava nas broncas, depois ela voltava do trabalho com guloseimas. Quando eu fui reclamar com a vizinha sobre os cachorros dela terem atacado a Dúnia, ela acusou a Dúnia de já ter atacado o filho dela, crente que eu ficaria na dúvida porque quase todos os cães da vizinhança vivem soltos. Quando eu estava prestes a fazer intercâmbio e meu namoradinho não pôde passar o último fim de semana comigo, ele mandou um e-mail coletivo de piadas, cujo título era “Ficarei fora no fim de semana. Eu sei que não era o que vocês estavam esperando mas é o que eu posso fazer no momento”. Quando meu ex-orientador puxou meu tapete, depois de mais de um mês de silêncio, ele voltou a me incluir na lista do grupo de estudos e recebi notícias aleatórias. Quando a Lis, minha colega de faculdade, pisava na bola, logo depois ela vinha me perguntar algo totalmente dispensável e o fato de eu responder a convencia de que estava tudo bem. Quando meu (até então) melhor amigo de orkut me ofendeu e eu pedi pra ele se explicar, recebi como resposta um monte de brincadeiras – porque ele era assim, brincava com tudo. Todas essas coisas só me deixaram ainda mais irritada. A melhor maneira de mostrar arrependimento e pedir desculpas é dizer: desculpa.