Da diferença entre se virar na cozinha e levar jeito pra coisa

Eu sei fazer o básico na cozinha, mas não tenho aquela inteligência de cozinheiro. Não sei como e dizer o que está faltando na comida, só sei se ela é boa ou ruim. Eu preciso ter os ingredientes e que me digam o que fazer, porque se for contar com a minha criatividade não vai dar certo. Uma vez quis inventar de colocar um temperinho à mais no molho sugo que estava fazendo e coloquei alecrim. Aviso: alecrim e molho sugo não combinam, eu testei. Ficou intragável. Não é à toa que já passei muitos almoços à base de pipoca de microondas. Pro dia a dia, seria totalmente à favor de tomar umas pílulas no almoço e pronto.
Mas como sou uma pessoa com alguma preocupação com a saúde, passei a comprar aqueles pacotes de legumes de yakisoba sem fazer yakisoba. Compro um pacote pequeno, que dá exatamente pra mim. Já vem tudo cortado e lavado, e só cozinhar. E eu os cozinhava da única maneira que me ocorre ao pensar em cozinhar legumes: colocava junto com cebola e alho refogados. Pra fazer mais volume, colocava cubos de queijo e, quando tem, cogumelos. Não ficava um espetáculo, mas pelo menos eu fazia alguma coisa com eles.
Uma vez, não sei porque, pedi pro Luiz preparar os legumes pra mim. Ele sim, uma pessoa de inteligência comidística. Ele me perguntou o que eu fazia e eu expliquei. Quando ele me serviu os legumes, minutos depois, que delícia. Eram outros legumes. Sem seguir nada do que eu disse, ele colocou os legumes para cozinhar à vapor, na cuscuzeira que nós temos. Depois, refogou-os na manteiga com cominho. Pode tentar em casa que é de lamber os beiços.
Anúncios