Condições adversas

Logo eu! Não há outra maneira de expressar o estranhamento em saber que fiquei 10 dias em alojamento. Logo eu, que sempre fui fresca, que sempre gostei de conforto e odeio grupos. Eu gostaria MUITO de ter ficado num hotel, sozinha e lendo. No alojamento, eu acordava por volta das 7h e não conseguia mais dormir pelo desgosto de estar numa sala de aula com mais 13 pessoas. Andava até o Centreventos, almoçava sanduíche de atum, fazia curso, jantava barra de cereal e ia correndo assistir as apresentações*. Chegava no alojamento por volta da meia noite, tomava banho e ia dormir. Sempre com as mesmas roupas (o %×$♠@☹☂ßæÜ do Climatempo disse que ia fazer calor!) e acompanhada.

Eu achei que teria algum piti. Que a falta de silêncio me irritaria de tal forma, que em pouco tempo me desentenderia com todo mundo e me isolaria. Sempre me vi como uma pessoa difícil e que mantém um pouco de sanidade porque gosta de solidão. A falta desses momentos realmente me deixou triste e apagou minhas habituais brincadeiras. Mas, ao contrário do que pensava, fui uma boa companhia. Me descobri uma apaziguadora, enquanto à minha volta as pessoas perdiam a paciência e se alfinetavam. Ou seja, para os grupos eu sou ótima mas grupos me fazem mal. Isso sem falar que eu estava no meio de artistas – sedentos por atenção e quem sabe ir para a Globo.

Comprovei o que já desconfiava: só brinco quando estou feliz, meus contatos são governados por afinidade e não utilidade, não sei disputar atenção. Então, sem chances de entrar pra Globo, pro CQC ou pra qualquer coisa que dependa de imagem. Devo ter parecido uma pessoa muito tímida, talvez sem importância. Eu sou aquela lá do fundo que não está fazendo a menor força para ser vista. Pra gostar de mim é preciso olhar com cuidado.
* As apresentações foram a melhor parte da viagem inteira. Assistir dança no meio do festival é como assistir futebol no estádio. As pessoas se envolvem, gritam, torcem, é muito divertido! Nunca mais acharei graça em estar no meio de uma platéia silenciosa.
Anúncios

7 comentários sobre “Condições adversas

  1. a gente se descobre!

    adorei saber qual era sua viagem! aliás, muito mais legal do que se fosse apenas um passeião de turista. 🙂

    bonita sua relação com a dança! me dá saudades…

    =**

    Curtir

  2. Sua descrição do alojamento me fez lembrar dos pseudoacampamentos da época do colégio e, posteriormente, de viagens pra praia no carnaval. Hoje eu penso que não conseguiria mais ficar no mesmo quarto com várias gentes, dividir banheiro… enfim.

    E dá pra imaginar o povo brigando pra ver quem será a próxima atriz-principal-da-malhação. Tenho mais idade pra isso não…

    Curtir

  3. Eu sou o vulgo “moita”. A minha compreensão dos grupos aumenta, mas a minha paciência para eles diminui cada vez mais.
    Quando eu prestei serviço militar OBRIGATÓRIO, passei por um período traumatizante de internato. Consegue imaginar a sinfonia escatológica de 60 homens dormindo num único dormitório?

    Curtir

  4. Ui….neim me lembre deste lugar!
    Quase morri laaaa!
    Fiquei uma semana de cama na volta!
    ahuahauahuahauahauahuahauahua

    Eu tive um “pequeno” piti!
    ahuahauhauahauhaua

    Me lembrou o CDM!
    Umas coisinhas escritas aiii!
    Eu sou a bailarina laaa do fundo =/

    Saudades ^^
    Beijoss =***

    Curtir

  5. Ficar num alojamento cansa MUITO!
    Ano que vem… não vou ficar em nenhum!

    So quero um hotel ou polsada simplezinho!

    Assim…vai dar para descansar e aproveiar o festival direito!
    Sem dores, ser incomodada e faltas de sono!
    ahuahauahuahauahuahaua

    Bjus =*

    Curtir

Os comentários estão desativados.