Ballet como tortura

Como para ser bailarina a pessoa deve começar a fazer aula muito cedo, é quase certo que o sonho deve partir primeiro dos pais. Pode ser que a mãe um dia tenha sonhado em ser bailarina; ou que isso seja uma tentativa de deixar a filha magra e graciosa. São muitos os motivos; a partir dele as crianças que passam a freqüentar o esporte mais completo e rigoroso que existe. Claro que uma experiência que envolve corpo e alma marcará uma criança para sempre. A questão é como.

Um dia eu estava vendo um caso fictício num programa da TV local. Nele uma das personagens era bailarina. Pra mostrar rapidamente a infância, mostraram uma cena em que uma menina estava vestida de bailarina num palco cheio de crianças e o professor de ballet lhe dizia:
– Parabéns, Fulaninha, você é muito boa. Em pouco tempo estará no avançado!

MENTIRA! Um professor de ballet jamais falaria isso. Quanto mais talentosa a criança é, mais rigoroso ele se torna. E quando a criança comete sempre os mesmos erros, ela passa o tempo todo sendo corrigida nos mesmos erros. Ou seja, elogios no ballet são raros. O comum é se contrair, sentir dor, levar bronca, lutar pra melhorar e nunca chegar lá. Imagine esse rigor na infância. Pode ser que cada vez que chamem sua atenção, a criança queira sumir. Professoras de ballet foram criadas ouvindo esporro e não costumam medir suas palavras. A menina mais cheinha será chamada de Gorda* e intimada a emagrecer, pois o padrão de beleza do ballet é assim.

Nem todas crianças conseguem dizer aos pais que não querem mais fazer ballet. Porque ter clareza disso não é tão fácil. Como acabar com o sonho da família inteira, que investiu tempo e dinheiro pra ter a filha no palco? Sonhos que se formam em torno de uma carreira (quase sempre improvável), colegas de ballet que viram amigas, gosto por atividades físicas, a magia do palco. A saída é ir sem vontade, ouvir os gritos e não conseguir avançar, chorar e colocar a culpa na dor física…

* mesmo que não lhe dissessem isso, ela sentirá mal ao olhar em torno de si.

Anúncios

2 comentários sobre “Ballet como tortura

  1. Ainda tento lembrar COM CLAREZA porque parei de fazer ballet.

    Provavelmente a junção falta de grana + menina gordinha seja a resposta. E também uma certa tendência a não terminar as coisas que começo.

    Curtir

Os comentários estão desativados.