Fios brancos

Parece que foi ontem quando eu me assustei que no topo da cabeça havia 3 fios brancos persistentes. Na época, até os apelidei. Eu disse pra mim mesma que ainda era muito cedo pra ter fios brancos, e que aquilo não combinava comigo. Estava convencida que de aquele erro pararia; fio brancos, definitivamente, não tinham nada a ver comigo.

A cada dia que passa, eles tem menos a ver comigo. Mas eles fazem questão de ignorar as minhas roupas coloridas, meu bom humor, minhas mudanças. O que era apenas uma pequena família no topo da cabeça, transformou-se num verdadeiro clã, espalhados pelos mais diversos pontos e – horror! – agora invadem a franja. No meu cabelo, castanho escuríssimo, eles ganham destaque facilmente. Já não ajeito o cabelo de algumas formas impunemente em público – há certas puxadas, certas regiões, certas maneiras de prender que são totalmente proibitivas.

Hoje me rendi e forcei o Luiz (que acha besteira essa cisma com fios brancos. Claro, em homem é besteira!) a arrancar vários. Enquanto puder arrancar, enquanto o tingimento for apenas uma opção, ficarei assim. Ter fios brancos já é velhice demais, quanto mais retocar raiz. Brrrr!

4 comentários sobre “Fios brancos

  1. Eu comecei a ficar careca assim 🙂 Até que apelei para uma tintazinha. Depois, por indicação da cabeleureureura, fiz luzes. Parou a pintação e agradou. 🙂 Beijos.

    Curtir

  2. Eu ia escrever a mesma coisa que a Flor já escreveu; se verdade ou mito, nem sei.Bom, de uma forma ou de outra, uma vez que eles começaram a surgir, creio que tornam-se contínuos e persistentes; difíceis de serem eliminados. (tal qual “flanelinhas” nas ruas adjacentes a locais de grande movimento…)

    Curtir

Os comentários estão desativados.