Blergh!

Hoje uma colega de academia estava falando sobre um curso ou algo parecido, com diversas técnicas como reike, cristais, esse tipo de coisa. Ela estava falando, mas não pra mim. Peguei o papo pelo meio e ela me lançou um olhar de “nem perco meu tempo com que não alcança meu nível de conversa”. UFA! Se isso é ser profundo, sou rasa como piscina de criança, baby!

ODEIO mensagens bonitinhas, estimulantes, coisas que falam do quanto é preciso amar-aar as pessoas como se não houvesse amanhã… (Sim, odeio Renato Russo também!) Essas coisas todas que ensinam o engradecimento e o auto-conhecimento. Pior ainda as histórias edificantes, como do cara que jogou a vaca pelo precipício e corrente do bem. Quando unido ao discurso empresarial, de como ser motivado, ter sucesso e que Quem Mexeu no Meu Queijo serve para qualquer situação na vida, tudo se torna o mais BLERGH possível!

Nem precisa me conhecer muito pra saber que não é comigo. Quando posso, até beijo no rosto eu evito. O que dirá então da mania que essas pessoas mais místicas tem de dar longos abraços energéticos? Tudo isso é uma grande bobagem, uma hipocrisia. As pessoas mais maravilhosas que eu conheci na vida tem em comum serem todas despreocupadas – boas quando tem que ser boas, más quando o outro merece a maldade. Já cultivei muita melancolia; hoje quero mais é dar risada.

Eu acredito em tentar ser feliz com o que se é. E isso já é trabalho pra vida inteira.

Anúncios

3 comentários sobre “Blergh!

  1. Ah, agora vi: Radical e destemida! : DIr de encontro à legião de fãs do Legião e esnobar o povo new age é coisa para poucos. Eu mesmo não tenho todo esse peito, não; sou adepto do eufemismo. : )

    Curtir

Os comentários estão desativados.